21
Set 11

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 O Condicionamento operante foi designado pelo psicólogo Burrhus Frederic Skinner. Estes vídeos documentam as experiências que o investigador desenvolveu para argumentar a sua teoria.

O condicionamento operante considera que as consequências de um comportamento podem influenciar a probabilidade de este ocorrer novamente. 

 

    Comportamento ------> Consequência

Se essa consequência for agradável, a frequência do comportamento vai aumentar (reforço).

Se a consequência for desagradável a frequência do comportamento vai diminuir (punição).

Quando uma contingência se diz positiva significa que há uma apresentação de um estímulo que pode ser agradável ou desagradável;

Quando a contingência é negativa significa que há uma remoção de um evento ou estímulo (agradável ou desagradável);

 
Daí quatro tipos de contingências operantes:
 
  1. Reforço positivo:
    1. Apresentação de um estimulo agradável após um comportamento desejado;
    2. Aumento da frequência do comportamento;
    3. Exemplo:

                     i.      Se o pombo tocar a campainha recebe alimento suplementar;

                     ii.      Se o aluno tiver boas notas recebe um elogio;

  1. Reforço negativo:
    1. Remoção (negativo) de um evento desagradável após o comportamento desejado;
    2. Aumento da frequência do comportamento;
    3. Exemplo:

                     i.      Se o rato puxar a alavanca deixa de levar choques eléctricos;

                     ii.      Se o doente tomar os comprimidos deixa de sentir dores;

  1. Punição positiva:
    1. Apresentação de uma consequência desagradável após a realização de um comportamento não desejado;
    2. Diminuição da frequência do comportamento;
    3. Exemplo:

                     i.      Se o rato sair do perímetro definido leva choque eléctrico;

                     ii.      Se a criança faz birra leva uma repreensão;

  1. Punição negativa:  
    1. Remoção de um evento agradável após a realização de um comportamento não desejado;
    2. Diminuição da frequência do comportamento;
    3. Exemplo:

                     i.      Se o pombo defecar fora do local apropriado é-lhe removida a alimentação;

                     ii.      Se criança partir um jarro deixa de poder ver televisão durante uma semana; 


 A extinção e a punição tendem a diminuir a frequência dos comportamentos. Na extinção, o comportamento tende a diminuir de frequência em função da retirada de reforços contingentes à resposta (aqueles que são responsáveis pela sua manutenção).

A técnica mais eficaz e recomendada para alterar comportamentos consiste na extinção e não na punição, pois esta última traz muitas consequências adversas.

publicado por psicologia às 18:31
tags:

comentários:
ta muito giro...
liliparva a 4 de Novembro de 2007 às 01:35

ate que enfim encontro isto resumido

obrigado e parabens
Nuno a 29 de Março de 2009 às 17:29

Parabéns pelo belíssimo trabalho. Seu blog tá ótimo.
Luciana a 2 de Abril de 2009 às 10:37

obrigada, vai me ajudar muito no teste de psicologia xD
Jessica a 26 de Abril de 2009 às 20:37

Bom dia, esse resumo esta incorreto... O consicionamento operante não é dado por um estimulo - comportamento e consequência, esse é o conceito de Watson usou com o bebê Albert. P/ Skinner é a triplice contingência :
antecedente-comportamento-consequência
Como ja diz a teoria de comportamento operante : OPERA SOBRE O AMBIENTE MODIFICANDO-O. P/ o comportamento operante não necessita de estímulo, é o sujeito que opera (se manifesta) no ambiente.
No experimento com o rato albino, vc espera um comportamento dele, e não apresenta nenhum estímulo que faça ele se aproximar da barra, só depois que ele emitiu o comportamento, vc o reforça com água.
Juliana a 26 de Novembro de 2009 às 13:04

O comentário anterior está perfeitamente correcto, uma vez que, no condicionamento operante, independentemente de haver estímulo ou não, o sujeito oferece-nos o comportamento que será recompensado, tendo como consequência o aumento deste, ou punido que terá como consequência a sua diminuição. Assim se justifica a Lei do Efeito de Edward L. Thorndike (1874-1949), onde Skinner se baseou para justificar as suas investigações.
Sílvio a 15 de Junho de 2010 às 18:17

em relacao aos cometarios acima, no que tange ao condicionamento operante, antes porem gostaria de ter de vos o conceito base do condicionamento operante como tal!
ceu cristiano a 21 de Novembro de 2011 às 10:13

por aquilo que me coube no condicionamento operante o organismo opera sobre o meio, ou seja reage ao estimulo a si apresentado resultando uma consequencia que surge como resposta do estimulo apresentado ao organismo...esta teoria embarcou mais tarde ao pensamento dos neo-behavioristas que viram o comportamento como resultado do estimulo-organismo-resposta, neste contexto passa-se a notabilizar se de forma ampla a reaccao do organismo para com o estimulo de modo activo e nao passivo como anteriormente era visto no condicionamento classico.
ceu cristiano a 21 de Novembro de 2011 às 10:22

tao d parabens gostei dos comentario vam mi ajudar na defeza d psicologia
ILKA a 12 de Maio de 2012 às 22:09

em relação ao comentário anterior primeiro ela precisa saber escrever,só depois dar uma opinião.
clarice a 20 de Junho de 2012 às 17:44

gostei muito...de facil compreensão,bem elaborado.
ANAMARIA GOMES a 18 de Abril de 2013 às 20:07

Quando falamos de extinção, falamos da frequência de um comportamentos que não acontece mais, vira fr=0. Não faz referencia a retirar um estímulo reforçador nem um estímulo punitivo; nesses casos são reforços ou punições negativas.

Favor confirmar se estou certo ou errado.

Wilfredo Fernández Vidal
3º período de Psicologia
Wilfredo Fernández a 15 de Abril de 2014 às 18:27

Setembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
22
23
24

25
26
27
28
29
30


arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO