Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Psicologia Experimental

Psicologia Experimental

head

Mary Ainsworth (1913-1999) colaborou com John Bowlby e dedicou-se ao estudo da relação materno-filial. 

Em 1969 desenvolveu uma técnica conhecida como "situação estranha" para estudar como os bebés equilibram a sua necessidade de apego e autonomia em diferentes níveis de stress.

Descrição da Experiência:

A investigadora colocava uma mãe e o filho com cerca de um ano de idade numa sala com brinquedos para que o bebé pudesse brincar e observava as interações de ambos antes e depois da introdução de uma pessoa desconhecida na sala. 

A situação estranha incluia momentos em que a mãe saia da sala e deixava o bebé com o desconhecido, para logo regressar. 

Para Ainswoth, a informação mais relevante sobre o vínculo mãe-filho não era proveniente da reação do bebé quando a mãe saía, mas de como reagia ao seu regresso, e sugeriu que as reações do bebé depois de voltar a reunir-se com a mãe indicam três modelos ou tipos de apego.

Tipos de apego

  1. Vinculação segura: cerca de 70% dos bebés dos estudos de Ainsworth apresentavaram este tipo de apego, em que eles utilizavam a mãe como base segura a partir da qual faziam explorações. Mostravam mal-estar se a mãe saia da sala, mas brincavam tranquilamente, inclusive na presença de um desconhecido, sempre que a mãe não estivesse acessível.
  2. Vinculação ansioso-evitante: cerca de 15% dos bebés apresentaram este tipo de apego. Estes bebés pareciam indiferentes à mãe e apenas reagiam quando esta deixava a sala. Consolavam-se tanto com o desconhecido como com a mãe. 
  3. Vinculação ansioso-ambivalente: os restantes 15% dos bebés apresentavam este tipo de apego. Mostravam receio perante o desconhecido, inclusive na presença da mãe. Quando esta saía da sala davam provas de intenso mal-estar, mas continuavam aborrecidos e resistiam ao contacto com ela quando regressava.

 Ainsworth afirmou que o tipo de apego é em grande medida determinado pela sensibilidade da mãe. Uma mãe sensível  entende as necessidades do filho e responde adequadamente, criando assim uma vinculação segura.